Escolha uma Página

A primeira reunião de 2017 da Rede do Terceiro Setor aconteceu hoje na Irmandade Betânia. O clima de cooperação e engajamento social foi compartilhado por 31 representantes do Terceiro Setor que assistiram à introdução do tema advocacy e à exposição do case do Centro de Assistência e Desenvolvimento Integral (CADI), apresentados por Mauricio Cunha.

foto

As cadeiras estavam todas ocupadas e cada participante guardava consigo muitas ideias e dúvidas relacionadas ao setor que foram compartilhadas com o grupo. Segundo Diego Baptista, articulador da Sociedade Global, “a importância da consolidação da Rede é imensurável para conseguirmos nos fortalecer e juntos transformar as estruturas de poder que causam pobreza e opressão”.

Sobre o  movimento

Os membros mais antigos do movimento contam que as ideias da Rede começaram a ser criadas em 2008 dentro do Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial (CPCE) da FIEP.  “O CPCE foi inspirador para o início desta rede. Crescemos, buscamos mais autonomia e seguimos em frente buscando mais espaços de fortalecimento do Terceiro Setor. O CPCE e a Rede somam forças”, explicou Adriana Bini, representante do Centro de Ação Voluntária e da Gente de Bem. Hoje em dia é um movimento orgânico, autônomo, que conta a a representatividade de organizações de sete municípios diferentes.

Geraldo Carmo, representante da ProBem, define essa mobilização coletiva como “um centro catalisador para as realizações no Terceiro Setor. É um tutor natural para inovação, advocacy, desenvolvimento e aporte na realização do bem pelas pessoas que não têm essas condições”.

O que vem por aí

As reuniões estão programadas para acontecer toda primeira quinta-feira do mês, anfitriadas cada mês em uma instituição diferente. O próximo passo programado pelo grupo é a divisão de grupos de trabalhos temáticos e o compartilhamento de problemas específicos enfrentados em cada instituição para a co-criação de soluções. Novos membros são bem-vindos, participe!